LuvBugs: distorção apaixonante

Rodrigo Pastore e Paloma Vasconcellos formam o duo (Foto: Divulgação)

Distorção, melodia, peso, fuzz e letras apaixonadas. Essa foi a fórmula que o LuvBugs encontrou para criar seu som e se lançar no meio independente. O duo é formado por Rodrigo Pastore (vocal/guitarra) e Paloma Vasconcellos (bateria), e está com seu novo EP na praça, Dias Em Lo​-​Fi (2017). Este é o tereciro trabalho da banda, que também veio acompanahdo de um clipe da faixa título. Conversamos com Pastore para saber mais sobre as novidades da dupla.

Rodrigo Pastore (Foto: Paula Puga)

Como surgiu o nome LuvBugs?
Rodrigo Pastore: De uma lista de nomes que fomos fazendo, no fim acabou sendo uma mistura de beetlejuice com amor e um pouco de love buzz talvez, não lembramos exatamente.

Dias Em Lo-Fi difere muito dos albúns anteriores? Em que sentido?
Pastore: Dias Em Lo-Fi talvez tenha um pouco a mais de melancolia que não tinha nos anteriores, mas a essência da LuvBugs tá ali. Talvez as pessoas que escutam não sintam muita diferença, talvez. Musicalmente dá pra perceber que tem alguns riffs de duas guitarras em várias faixas e foi a primeira vez que a gente fez isso. As letras são bem emotivas como sempre foram. A gente não pensa muito nisso, mas é claro que sempre tem alguma evolução nas composições.

E como está sendo a recepção do público em relação ao novo trabalho?
Pastore: A recepção é boa e estamos nos apresentado por cidades de Minas Gerais e Espírito Santo.

Vocês são um casal. Como é isso na hora de se trabalhar em conjunto na banda? Rola uma DR às vezes?
Pastore: É ótimo e super tranquilo. É mais fácil do que ter banda com outras pessoas. A gente ensaia e grava tudo em casa, então tem menos estresse do que a gente tinha com nossas bandas ou tentativas antigas de bandas com outras pessoas.

Dias Em Lo-Fi saiu pela Violeta Discos, o selo de vocês. A ideia é lançar trabalhos somente da LuvBugs, ou também de outras bandas amigas?
Pastore: A ideia é lançar outras bandas amigas ou até não amigas ainda. Na real o primeiro lançamento foi da banda Sereno, que os integrantes também fazem parte do selo e lançaram o EP Adivinhar o Futuro das Estrelas (2017). Eles estão terminando de gravar o segundo EP e vamos lançar esse ano ainda. Fora isso pretendemos lançar outras bandas que acharmos que se encaixem na ideia do selo.

Apresentação da LuvBugs no Breve, em SP (Foto: Gabriel Mello)

Quais as influências da LuvBugs?
Pastore: Bandas independentes de todo o mundo que fazem música com guitarra distorcida.

Há espaço para o Lo-Fi nos dias de hoje?
Pastore: Sim. O espaço é pequeno, mas existe. E é muito importante a gente continuar fazendo esse tipo de trabalho que preza pelo DIY (sigla da expressão em inglês Do It Yourself, que significa “Faça Você Mesmo”, na tradução para a língua portuguesa) que é praticamente uma resistência nesse meio da música massificado pelas grandes indústrias.

Mais LuvBugs
Site
YouTube
Bandcamp
Instagram

Edição: Michel Pozzebon
[Zine Conteúdo]

Anúncios

Uma resposta para “LuvBugs: distorção apaixonante

  1. Pingback: O mundo dissonante de Ayuso | Zine Musical·

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s