A revolução do Depeche Mode

Martin Gore, Dave Gahan e Andrew Fletcher (Foto: Divulgação)

Martin Gore, Dave Gahan e Andrew Fletcher (Foto: Divulgação)

Confesso que sou um fã tardio do Depeche Mode. Nos anos 80 eu era um piá e não sabia apreciar essa verdadeira pérola da música eletrônica. Pois os caras seguem até hoje conquistando a gurizada e também alguns coroas como eu. Por isso estou ansiosíssimo para o dia 17 de março. É a data prevista para o lançamento do álbum Spirit, o décimo quarto da carreira da banda inglesa.

O primeiro single foi lançado agora no início de fevereiro, Where Is The Revolution (Onde está a revolução, na tradução em português), música que dá o tom desse importante trabalho, numa clara provocação a quem desistiu de lutar por aquilo que acredita.

Ou seja, 37 anos depois, a banda segue idealista e oxigenada, questionando o sistema, com a essência da sua arte pulsando nas veias. Como o próprio nome da banda sugere, eles ainda são a última moda.

Anúncios

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s