O pop experimental de Antonia Morais

Cantora aparece caracterizada como índia no clipe de A Santa Maquina (Foto: Reprodução)

Cantora aparece caracterizada como índia no clipe de A Santa Maquina

Antonia Morais, que há pouco mais de um ano mergulhou no universo da música e apresentou seu primeiro EP, Milagros – com sete músicas produzidas, escritas e cantadas por ela -, anuncia o lançamento da música A Santa Maquina, como uma das grandes novidades deste ano como cantora, atrás somente do primeiro álbum, previsto para sair neste segundo semestre. A nova canção chega acompanhada de um videoclipe com bastante expressividade pessoal, criado, como suas demais músicas, a partir de uma intensa busca por autoconhecimento. Antonia, filha de Glória Pires e Orlando Morais, também é atriz e além de cantar, produz suas próprias faixas, misturando elementos do eletrônico experimental com pop.

A Santa Maquina

Capa do single A Santa Maquina

A Santa Maquina fortalece a linha experimental e a criação orgânica e intuitiva de Antonia. A cantora procura não pensar muito em estilo ou gênero quando está criando; prefere se guiar pelos sentimentos e questionamentos do momento, que estão relacionados com lugares e experiências vividas ou não, mas que foram intensamente sentidas. Contudo, entre as suas influências musicais, estão presentes elementos do trip hop, dupstep e future R&B.

“Existem muitos motivos pelos quais inesperadamente escolhi o nome de A Santa Maquina para a canção. Um deles é a invasão crescente das maquinas na natureza sagrada; é o que sinto e vejo quando ouço a música, e a ideia que inspirou o videoclipe. Essas máquinas são um reflexo da evolução do ser humano; evolução que tem o poder de nos levar à frente do tempo, mas que ao mesmo tempo pode nos destruir drasticamente. O nome “A Santa Maquina” tem tantos significados e interpretações que nos faz esquecer a verdadeira santa máquina, que é o coração”, explica Antonia.

O videoclipe de A Santa Máquina é dirigido por Dauto Galli – também dirigiu um dos primeiros clipes de Antonia, Child – e apresenta ideias criadas de modo intuitivo, representando a dualidade do indivíduo, que ora é inofensivo e parte da natureza, ora pode ser agressivo e destrutivo. Antonia aparece no vídeo caracterizada como índia e guerreira, portando armas.

Anúncios

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s