Índio não quer só apito

Este slideshow necessita de JavaScript.

Está cada vez mais comum ouvir som pesado cantado na língua dos nossos ancestrais indígenas. Um exemplo disso é a Blasphemer, banda paraguaia de death metal melódico que escreve suas letras no idioma guarani. Aqui em Brasília temos o pessoal da Arandu Arakuaa, que canta o seu folk metal em tupi antigo, xerente e xavante, e aborda temas relacionados com ritos e lendas dos antepassados. Tem toda uma valorização cultural envolvida. Confesso que achei meio estranho, mas acho válida a proposta dessa galera.

Anúncios

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s