Neil Peart e seu diário de bordo

Obra foi originalmente lançada em 2002

Neil Peart, o icônico baterista do Rush, por vezes considerado o melhor do mundo em seu instrumento, tem uma história de perdas e superação. Entre agosto de 1997 e junho de 1998, o músico perdeu a sua única filha Selena em um acidente de carro e a mulher, vítima de câncer. Perdido, Peart pegou sua moto (BMW R1100 GS) e percorreu sozinho 90 mil quilômetros pelas Américas do Norte e Central. Por conta disso, a banda canadense teve que dar uma parada para que o baterista tentasse colocar a vida em ordem.

Os amigos e parceiros de grupo, Geddy Lee e Alex Lifeson, recebiam cartões postais esporádicos que informavam sobre o paradeiro do colega. Foram necessários cinco anos de ausência. Durante este hiato, Neil escreveu Ghost Rider (capa reproduzida ao lado), uma espécie de diário de bordo que conta suas aflições e sofrimentos durante o período em que foi afligido pela ausência das duas pessoas mais queridas da sua vida.

Publicado originalmente em 2002, Ghost Rider – Travels on the Healing Road, título que faz alusão ao Motoqueiro Fantasma, personagem da editora Marvel Comics, e simboliza o quanto o baterista estava se sentindo perdido, chega ao Brasil em março com o nome Ghost Rider – A Estrada da Cura. A publicação tem 528 páginas.

Anúncios

Uma resposta para “Neil Peart e seu diário de bordo

  1. Pingback: O tênis de Neil Peart | Zine Musical·

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s