Tom Zé: “O rabinho do diabo tem relação com Caetano”

Tom-ZeNo alto dos seus 77 anos, o eterno tropicalista Tom Zé segue polemizando. Com um figurino estilizado de diabo, o multiartista baiano concedeu entrevista ao programa Ensaio, que foi ao ar na noite de quinta-feira (30 de janeiro) pela TV Cultura. Perguntado sobre a vestimenta, o músico disse que o “rabinho tem relação com Caetano Veloso”.

A rusga entre Tom e Caetano é antiga, desde o fim da década de 1960, quando a trajetória de ambos seguiu caminhos opostos – enquanto o grupo de Caetano ganhava fama como os inventores do tropicalismo, Tom Zé caía no ostracismo e o seu nome deixava de ser mencionado. Depois que voltou aos holofotes com a ajuda de David Byrne, na década de 1990, não houve uma reaproximação.

Caetano Veloso chegou a elogiar o disco Estudando a Bossa, lançado pelo conterrâneo em 2008. Naquela altura, escreveu: “Muito legal. Muito ele mesmo. Quando li que se chamava ‘estudando a bossa’, ri, gostei do tom de trilogia com os outros dois ‘estudandos’, e fiquei curiosíssimo para ver como é que ele ia tratar musicalmente o assunto. Diferentemente de mim, de Gil, de Gal e da torcida do Bahia, Tom Zé nunca foi um bossanovista”. O baiano de Irará, contudo, não amoleceu. Chegou a xingar Caê durante um show e escreveu em seu blog: “[…] não posso mais voltar para o colo do grupo baiano. Você sabe que seus braços são preciosos e irresistíveis, mas não posso ir comemorar neles este disco, nem com você”.

Nos últimos anos, os dois se aproximaram da nova geração de artistas do País. Em algum momento, um encontro seria inevitável. E essa oportunidade aconteceu no dia 15 de dezembro de 2013, na plateia externa do Auditório Ibirapuera. Na ocasião, ocorreu o show gratuito Cidadania nas Ruas, que encerrou o Festival de Direitos Humanos. Caetano Veloso, Tom Zé e Baby do Brasil subiram ao palco como convidados de Emicida, Rael, Tulipa Ruiz e Marcia Castro.

E a relação entre os dois músicos parece estar mais abrandada. Nessa quarta-feira (29 de janeiro), Tom Zé recebeu a visita de Caetano Veloso em seu estúdio em Perdizes, São Paulo. O motivo? Os últimos arremates da música que compuseram juntos, Pequena Suburbana, a primeira parceria da dupla para o novo disco de Tom, só de inéditas, que deve ser lançado ainda antes da Copa. Quem fez a ponte foi Marcus Preto, diretor artístico e idealizador do álbum. Quando recebeu o convite, Caetano fez questão de que ele assinasse a música e Tom Zé a letra.

Tropicália Lixo Lógico

O penúltimo álbum de Tom Zé também pautou a entrevista concedida ao programa Ensaio. O músico relatou as dificuldades que teve durante a gravação de Tropicália Lixo Lógico (2012), por causa do som diferenciado. “Por ser um som inusitado, quando foi para a fábrica, foi devolvido com um relatório que apontava graves defeitos de gravação. Esses defeitos, que não eram defeitos, fazem parte da proposta do novo trabalho”, explicou.

Anúncios

2 Respostas para “Tom Zé: “O rabinho do diabo tem relação com Caetano”

  1. Pingback: Gil homenageia João Gilberto | Zine Musical·

  2. Pingback: Jorge Drexler divulga novo single | Zine Musical·

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s