Suedehead: dark psycho rock

1010519_416623981780125_1492154594_nSuedehead (1988), primeiro single da carreira solo de Morrissey, dá nome a um quinteto gaúcho que tem o som oitentista como base de seu repertório de covers. No entanto, o guitarrista Kauê Mallmann ressalta que por conta de algumas canções autorais da banda, fica difícil definir o estilo do grupo. “Talvez um dark psycho rock”, conceitua ele.

A banda surgiu quase que ocasionalmente, quando em 2007, os amigos Kauê, Cássio Reis e Ricardo Oliveira foram convidados a participar de um tributo anos 80 no Centro de Cultura de Novo Hamburgo (RS). “Seria violão e voz, eu e o Cássio. Rolou a ideia de convidar um guitarrista, o Ricardo. Quando fomos à Secretaria de Cultura fazer a inscrição, a secretária perguntou o nome da banda. Nós nem tínhamos pensados nisso. Então, saiu naturalmente: Suedehead, assim, no susto. Essa era uma das músicas que tocaríamos, do Morrissey”, conta Kauê.

O que seria apenas a participação em um tributo, acabou se tornando a primeira apresentação da Suedehead. “Fizemos aquele show e a repercussão foi incrível. Na saída, um cara falou que queria nos produzir, que tinha achado excelente o som. Então, resolvemos continuar, convidando um baterista, o Alessandro, e um baixista (rodaram vários)”, destaca o guitarrista.

A Suedehead é Cássio Reis (voz e violão), Kauê Mallmann (guitarra e vocais), Lucas Hedler (baixo e vocais), Madger “Mad” Barte (percussão) e Ricardo Oliveira (guitarra e vocais).

Em tempo, após um hiato de quatro anos, a Suedehead retoma a sua agenda de shows. Dia 5 de outubro, o quinteto se apresentará no Campus 3 Rock Bar (Rua Santos, 792, Vila Nova – Novo Hamburgo).

Confira abaixo trechos de um pingue-pongue com o guitarrista da Suedehead, Kauê Mallmann. No bate-papo, o músico fala das influências, composições próprias e sobre o projeto de lançar um disco totalmente autoral.

Quais as influências da Suedehead?

As influências acabaram acontecendo por causa do primeiro show, o tributo aos anos 80. Cada um dos músicos gosta de um estilo, mas o anos 80 vimos que era algo que ninguém focava. Pegamos The Cure, Smiths, Talking Heads, Bauhaus, Depeche Mode, David Bowie, mas em versões mais distorcidas. Menos dance, mais guitarras.

Pode-se definir o estilo da banda?

Pergunta difícil (risos). Os covers são a maioria anos 80, quando fazemos o repertório de “festa”. As músicas próprias, porém, não cabem dentro de um estilo. Provavelmente todo mundo diz isso, mas tem algumas demons gravada pra quem quiser ouvir e tentar dar um estilo. A gente não soube descrever até hoje. Talvez um Dark Pshycho Rock (risos).

Como é a composição de músicas próprias?

Agora, o que temos de próprias é o que já tinha lá em 2007, no início da banda. O Cássio, vocalista, escreve muita coisa, tem muitas músicas. O Ricardo, guita solo, também tem várias coisas. Geralmente os dois trocam figurinhas. Cada um tem um estilo bem diferente, mas eles juntam as duas coisas e sai uma mistura legal.

Vocês já tem algum material lançado?

Temos uma demo de um EP de 2007 inacabada, com 3 sons autorais e uns covers. A ideia é lançar algo ano que vem. Estamos trabalhando nisso. Talvez um disco totalmente autoral.

Anúncios

Uma resposta para “Suedehead: dark psycho rock

  1. Pingback: Coquetel Hacienda regressa com novo baterista | Zine Musical·

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s